Alagoas: Congresso da UP reelege Magno Francisco como presidente estadual

Alagoas: Congresso da UP reelege Magno Francisco como presidente estadual

Redação Alagoas

Diretório Municipal continua sob a presidência da pré-candidata à Prefeitura de Maceió, Lenilda Luna

A Unidade Popular em Alagoas reelegeu o professor Magno Francisco como presidente estadual e a jornalista Lenilda Luna como presidenta municipal. O congresso do partido foi realizado de forma virtual no último sábado, 11 de julho.

A Unidade Popular é o mais novo partido político legalizado no Brasil, com registro eleitoral de número 80, obtido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 10 de dezembro de 2019.

Magno Francisco – up/al

Na avaliação do presidente reeleito, o Congresso foi “vitorioso, participativo e democrático”. “Estamos com a energia renovada para avançar a presença da UP entre as mulheres, os jovens, os negros e negras, LGBTs, campesinato, indígenas e na classe trabalhadora como um todo. Parabenizo aos novos integrantes dos Diretórios Estadual e municipal de Maceió. Estou certo que farão um grandioso trabalho! Agradeço a confiança expressada pelo Congresso para seguir na liderança do partido. Os desafios serão grandes, mas confio na força do coletivo. Avante na luta pela destruição da exploração capitalista e pela construção do socialismo!”, declarou Magno Francisco, presidente da legenda em Alagoas logo após a conclusão do evento.

O II Congresso da Unidade Popular Alagoas e o I Congresso da Unidade Popular Maceió contou com a participação de mais de 50 filiados, sendo a sua grande maioria de Maceió. Registrou presença também de delegados outras sete cidades, compreendendo o sertão, agreste e a região metropolitana. Além dos delegados, participaram observadores e o membro do diretório nacional do partido e presidente da UP no Estado do Rio de Janeiro, Esteban Crescente.

O Congresso teve uma participação equitativa de homens e mulheres e a presença de uma mulher trans. Mais de 70% dos presentes eram negros ou pardos e 5% eram indígenas. O diretório estadual e municipal de Maceió eleitos foi ampliado com a diversidade de representações presentes: movimento popular, sindical, de mulheres, LGBTs e juventude. Assim como no primeiro Congresso, a composição dos organismos de direção garantiu uma presença paritária de homens e mulheres.

“Saímos do Congresso da UP fortalecidos para continuar a luta pela superação desse sistema econômico que não prioriza a vida e pela derrubada do governo Bolsonaro. Refendamos ainda a importância do lançamento das nossas candidaturas para ganhar corações e mentes da sociedade Maceioense para construir uma nova cidade, baseada numa radical democracia de participação popular. Queremos que o povo esteja no poder e não mais os ricos, que sempre governaram nossas cidades”, disse Lenilda Luna, presidenta municipal da UP Maceió e pré-candidata a prefeita.

Além da candidatura à prefeitura de Maceió, a Unidade Popular está preparando sua chapa de vereadores. O professor Magno Francisco que esteve à frente da luta contra o aumento das passagens é o nome mais conhecido entre os pré-candidatos. Mas o partido também pretende ter candidaturas representando a comunidade LGBT, o movimento de mulheres, a juventude e o movimento popular.